Unicef e OEA exigem que os assassinos de Ágatha sejam punidos

Unicef e OEA exigem que os assassinos de Ágatha sejam punidos

Unicef Brasil e a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos), reagiram ao assassinato da estudante  Ágtha Félix, de 08 anos, no Rio de Janeiro.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA exigiu a identificação e a definição de responsabilidades pela morte da estudante.

“O Estado deve investigar de maneira célere e diligente e punir os responsáveis”, diz a entidade.

A Unicef Brasil declarou, em nota, que “apela para o compromisso de proteger o direito à vida de cada menina e menino, de prevenir homicídios e de priorizar a investigação das mortes violentas de crianças e adolescentes”.

“A morte da menina Ágatha Félix, assassinada por um tiro nas costas durante uma ação da Polícia Militar no Rio de Janeiro, nos revela a dor profunda das famílias, os sorrisos e os sonhos interrompidos de 32 crianças e adolescentes assassinados por dia no Brasil”, diz a nota, divulgada nesta segunda-feira (23).

O governador Wilson Witzel (PSC) também foi denunciado na ONU (Organização das Nações Unidas) pela ONG Justiça Global, junto com oito entidades que atuam em favelas do Rio de Janeiro.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *