Ucranianas são presas em Minas por tráfico de ovos de ave em extinção

A Policia Federal prendeu duas mulheres ucranianas, de 45 e 47 anos, em Minas Gerais suspeitas de traficarem ovos de araras-azuis-de-lear. Os ovos da ave ameaçada de extinção exclusiva do Brasil, iriam para a Europa. A população atual tem cerca de 1.500 indivíduos em todo o país, sendo encontrada apenas na região do Raso da Catarina e no Boqueirão da Onça, na Bahia.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal responsável pela prisão, as suspeitas, estavam em um carro alugado que foi abordado ao passar pelo posto da PRF. “A princípio era uma abordagem padrão, mas o nervosismo um pouco demasiado dela [uma das mulheres] levantou a suspeita. Na hora que me aproximei da porta traseira esquerda, ela demonstrou ainda mais nervosismo”, relata o policial rodoviário Edson Alexandre da Silva.

A dupla haviam saído do estado da Bahia e iriam para o aeroporto de Guarulhos (SP), onde embarcariam em um voo para a Europa, segundo a Polícia Federal (PF). Uma delas, de 45 anos, já tinha passagem pelo mesmo crime.

Araras Azuis de Lear

A espécie  formam casais que se reproduzem uma vez por ano, gerando até três ovos, mas, na maioria das vezes, apenas dois filhotes sobrevivem.

O predador natural é a águia-chilena, mas existem ainda outras ameaças que colocam em risco a sobrevivência da arara-azul-de-lear, como o tráfico de animais, as lesões ou mortes causadas por linhas de distribuição de energia e a destruição do seu habitat natural, a Caatinga.

Foto: Policia Federal

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe