Paciente com ebola segue para o Rio

O paciente de 46 anos com suspeita de ebola, atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pampulha, em Minas Gerais, deverá ser transferido ainda nesta quarta-feira (11.11) para o Rio de Janeiro. O homem, que é brasileiro, estava em Guiné, na África, só procurou atendimento na noite desta terça-feira, dois dias depois de retornar ao Brasil. A Secretaria Municipal de Saúde de Pampulha mandou fechar a UPA por tempo indeterminado.

O homem, cujo nome não foi divulgado chegou de Guiné no último dia 6 e começou a ter febre alta e sentir dor muscular e dor de cabeça, dando entrada na unidade de saúde às 20h dessa terça-feira. Quando a suspeita de contaminação por ebola foi constatada, ele foi isolado e a Estadual de Saúde (SES), assim como o governo, foram comunicados sobre o caso.

Uma ambulância o levou para o Hospital Eduardo de Menezes, de onde ele seria transferido ainda hoje para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI/Fiocruz), no Rio de Janeiro (RJ), referência nacional para casos de ebola.

Na transferência, os funcionários usaram roupas especiais para evitar o contágio, o que segundo o Ministério da Saúde faz parte do protocolo de segurança. Todos aqueles que tiveram contato com o homem estão sendo monitorados pela Secretaria Municipal de Saúde.

O vírus ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo), e, desde então, tem produzido vários surtos no continente africano. Esse vírus foi transmitido para seres humanos que tiveram contato com sangue, órgãos ou fluidos corporais de animais infectados, como chimpanzés, gorilas, morcegos-gigantes, antílopes e porcos-espinhos.

Em seres humanos o período de incubação pode variar de dois a 21 dias. Há cinco espécies de vírus, sendo o Zaire ebolavirus o que apresenta a maior letalidade, geralmente acima de 60% dos casos diagnosticados.
 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o recente surto do vírus é o maior desde que a doença apareceu pela primeira vez.

Portal Saúde no Ar

A.V.

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.