Médico-perito volta a ser preso por suspeita de fraudes no INSS na Bahia

Médico-perito volta a ser preso por suspeita de fraudes no INSS na Bahia

A Polícia Federal realizou na quarta= feira (03/08) uma operação na Bahia com o nome de Operação PINEL III. A ação foi realizada em conjunto com o Núcleo de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do Ministério da Previdência e Trabalho.
Os policiais prenderam pela segunda vez, o médico-perito do INSS ( nome ate o momento não revelado) envolvido em fraudes previdenciárias.

Ele já havia sido preso, juntamente com outras 10 pessoas, na primeira fase da Operação Pinel, deflagrada no ano de 2019, apontado como líder de grupo criminal.

O médico-perito preso já foi denunciado pelo Ministério Público Federal, por participação nas outras fases da operação PINEL, pelos crimes de estelionato previdenciário, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção passiva, lavagem dinheiro, além de organização criminosa, com penas que, se somadas, ultrapassam 30 anos de prisão.

De acordo com a investigação, a ação das fraudes contra o INSS eram feitas a partir da simulação de doenças incapacitantes ao trabalho, a maioria delas ligadas a transtornos psicológicos, assim como no direcionamento e manipulação de perícias médicas.

A polícia diz que prejuízo passa de R$ 60 milhões