Julho amarelo - A luta contra as hepatites virais

Julho amarelo - A luta contra as hepatites virais

Nesta segunda- feira 08/07/ no Programa  Saúde no Ar, na Rádio Excelsior da Bahia AM 840, e Rádio Web Saúde no ar, Patrícia Tosta entrevistou Rômulo José  Valença Correia. Ele é  responsável pela ONG, Grupo Vontade de Viver, O assunto  abordado foi “julho Amarelo e as hepatites virais.

Grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo, a hepatite é a inflamação do fígado, e pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. São doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. As principais formas de transmissão são através do sexo desprotegido, compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha ou outros objetos perfuro cortantes.

Devido ao aumento de casos de hepatites virais em todo o mundo, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta.  Segundo a estimativa da entidade é que 325 milhões de pessoas no planeta vivam com um quadro crônico de infecção viral por hepatite B ou hepatite C – a maioria delas sem acesso a exames que atestem a doença e, portanto, sem tratamento.

A OMS reconhece as hepatites virais como um desafio para a saúde pública mundial e aponta que cerca de 60% dos casos de câncer de fígado são causados pelos tipos B e C. Dados de balanço do Ministério da Saúde apontam para mais de 35 mil mortes por hepatites virais entre 2000 e 2016, sendo que mais de 70% dos óbitos foram decorrentes do tipo C.

Assista o Programa:

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *