Jovens baianas desenvolvem pulseira localizadora para neurodivergentes e idosos

As estudantes baianas Ana Clara Cerqueira, Evelyn Rodrigues, naturais de Salvador e Rayka Ravena, de Jacobina, no norte do estado, desenvolveram uma pulseira localizadora para pessoas neurodivergentes e idosas. usando recursos tecnológicos reaproveitados,o custo é reduzido e torna a invenção, financeiramente viável

As criadoras adaptaram o tamanho das letras e usaram cores suaves no layout das plataformas, para aumentar a adesão entre pessoas neurodivergentes. Além disso, a pulseira é feita de crochê, evitando alergias ao plástico e deixando o uso mais confortável.

“Temos um colega com autismo que anda de bicicleta por 40 minutos para chegar na escola. Os pais, por conta do trabalho, não podem levar ele e sempre precisam ligar para a escola para saber se ele chegou bem. Por isso, pensamos em usar a tecnologia para melhorar a vida dessas pessoas “, contou Evelyn.

“Queremos ajudar as pessoas que não têm tanto poder econômico, que não têm condições de ter um relógio que já vem com essa função localizadora, como o smartwatch. Esses aparelhos são caros, por isso, fizemos um protótipo mais barato”, explicou Ana Clara.

Fonte: G1-BA

 

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe