Imposto mínimo de 2% sobre super-ricos multiplicaria por 10 orçamento do Ministério do Meio Ambiente

Segundo cálculo do Centro de Pesquisa em Macroeconomia das Desigualdades da Universidade de São Paulo (Made/USP) publicado nesta quarta-feira (22/5).

A criação de um imposto de 2% sobre a riqueza dos 0,2% mais ricos do Brasil seria suficiente para arrecadar R$ 41,9 bilhões por ano.

“O perfil de riqueza desses 0,2%, é bem diferente do resto da população”, diz o economista Guilherme Klein, professor da Universidade de Leeds (Reino Unido) e pesquisador associado do Made/USP.

O valor de R$ 41,9 bilhões que poderia ser arrecadado também é equivalente a cerca de 25% do total gasto com o Bolsa Família em 2023, ano de investimento recorde no programa, segundo o estudo do Made/USP.

Esse valor seria suficiente para triplicar o orçamento do Ministério da Ciência e Tecnologia ou aumentar em mais de 10 vezes o orçamento do Ministério do Meio Ambiente e Mudanças Climáticas de 2023. Segundo um relatório do Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos), o orçamento autorizado para Meio Ambiente foi de R$ 4,3 bilhões em 2023 e o de fato executado pelos orgãos ambientais foi de R$ 3,29 bi.

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe