Febre amarela promete surgir no verão

Febre amarela promete surgir no verão

Devido às ondas de calores se aproximando, o risco de contrair a febre aumenta a proliferação do vírus, isso porque o calor e umidade atribuem para geração dos mosquitos e suas doenças como: dengue, zika e aquela velha doença que ainda ronda o Brasil, a febre amarela.  

A febre amarela é uma patologia infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido pela picada de mosquitos vetores infectados. Ela não é contagiosa, ou seja, não é passada de pessoa para pessoa, e tem letalidade em torno de 40%.

Em um levantamento realizado recentemente pelo Ministério da Saúde, a febre amarela, no período de 1º de janeiro a 8 de novembro deste ano, foram registrados 1.311 casos e 450 mortes, quase o dobro do identificado no mesmo período do ano anterior, 736 casos e 230 mortes.

Vacinas

Junto com estados e municípios, o Ministério da Saúde adotou estratégias para evitar a ocorrência de novos surtos na população humana. Dentre elas, a intensificação da vacinação, que deve ser tomada dez dias antes de as pessoas entrem em contato com áreas consideradas de risco (matas, florestas, cerrado e determinadas regiões).Para aqueles que foram vacinados nos últimos dez anos não é necessário tomar a vacina novamente.

Algumas áreas que estão sendo considerada de riscos, entre eles os estados recém-afetados e com grande contingente populacional, as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo. Porém está havendo baixa procura nos postos de vacinação, apesar de esta sempre disponível.

A Bahia não se encontra em estado de emergência, mas todo cuidado é pouco. O caminho mais sensato é através da prevenção, se imunizar antes da infestação do vírus e relatos de mortes as morte evitam a proliferação e a superlotação em postos de saúde.

Redação Saúde no ar (Samantha Scarlet)

Fonte: Ministério da Saúde

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *