Farmacêuticas estrangeiras lucram com remédios que saem da biodiversidade brasileira

Farmacêuticas estrangeiras lucram com remédios que saem da biodiversidade brasileira

Segundo reportagem do Programa Fantástico Exibido no último domingo (17/10) pela Rede Globo, , em toda a história, o Brasil  só desenvolveu dois medicamentos 100% nacionais. Um anti-inflamatório e um remédio contra a impotência.

Cientistas brasileiros estão desenvolvendo medicamentos importantes para combater diversos tipos de doenças com material extraído da biodiversidade brasileira, mas são as empresas estrangeiras que estão ganhando milhões com as descobertas dos brasileiros. A biodiversidade é usada pelos estrangeiros. Medicações criadas extraindo substancias de plantas e animais brasileiros.
O governo brasileiro reduziu as verbas para pesquisas científicas. O orçamento do CNPq – a principal agência de fomento à pesquisa – que era de R$ 2,7 bilhões em 2014, foi caindo a menos da metade em sete anos. O orçamento de 2021 é de R$ 1,2 bilhão.

Sem apoio e sem verbas suficientes, os cientistas brasileiros são obrigados sair do país e nossas descobertas são usadas por estrangeiros que patenteiam as medicações feitas com nossa biodiversidade.

Os repórteres do programa  Fantástico conversou com pesquisadores, que explicaram que as universidades brasileiras não têm condições de pagar a conta do desenvolvimento de um medicamento. E o governo nem financia a indústria nacional nem dá mais dinheiro para as universidades; em consequência disso, as medicações com substancias extraídas de plantas e animais brasileiros, são estudadas no exterior e as medicações são patenteadas por estrangeiros.

JR

Fonte: Fantástico.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *