Portal Saúde no Ar

Exemplos para mitigar a violência urbana em tempos atuais

Mitigar a violência urbana e urbanizar favelas são dois desafios que vários países enfrentam. No entanto, é importante notar que as soluções devem ser adaptadas a cada contexto local, considerando as particularidades sociais, econômicas e culturais de cada região. Dito isto, algumas das melhores soluções identificadas ao redor do mundo incluem:

 

Policiamento Comunitário:

Baseia-se na ideia de parceria entre a polícia e a comunidade.

Foco em construir confiança, interação e cooperação entre a polícia e os cidadãos.

Um exemplo notável é o modelo “Bobby on the Beat” no Reino Unido.

 

Prevenção através da Intervenção Social:

Programas como “Cure Violence” em Chicago (EUA) usam mediadores de conflitos para intervir em disputas antes que elas se tornem violentas.

Programas de mentoria para jovens em situação de risco.

 

Urbanização e Integração das Favelas:

Projetos de infraestrutura que oferecem acesso a serviços básicos, como eletricidade, água e saneamento.

O programa “Favela-Bairro” no Rio de Janeiro é um exemplo de esforço para integrar favelas ao tecido urbano mais amplo.

 

Educação e Oportunidades Econômicas:

Investir em educação de qualidade e treinamento vocacional.

Fomentar o empreendedorismo local.

Exemplo: Programas de microcrédito em Bangladesh e outros lugares.

 

Redução de Desigualdades:

Investimentos em áreas socialmente vulneráveis.

Políticas de inclusão social e redistribuição de renda.

 

Sistemas de Vigilância e Inteligência:

Uso de câmeras de vigilância e tecnologia de reconhecimento facial.

Plataformas digitais para denúncias e mapeamento de áreas de risco.

 

Planejamento Urbano e Design Ambiental:

A teoria da janela quebrada sugere que ambientes bem cuidados são menos propensos ao crime.

Iluminação adequada, paisagismo e design de edifícios podem influenciar a percepção de segurança.

 

Participação Comunitária:

Envolver a comunidade em decisões relacionadas à segurança e urbanização.

Programas de “vizinhança vigilante” têm mostrado eficácia em certos contextos.

 

Desarmamento:

Campanhas e legislações rigorosas sobre porte e posse de armas.

Iniciativas como as da Austrália, que conduziu uma grande compra de armas após um massacre em 1996, têm sido apontadas como exemplos de sucesso.

 

Justiça Restaurativa:

Práticas que visam resolver conflitos por meio da reparação e do diálogo, em vez de apenas punir.

A Nova Zelândia tem utilizado a justiça restaurativa em seu sistema juvenil com relativo sucesso.

 

Referências:

Sherman, L. W. (2018). Reducing fatal police shootings as system crashes: Research, theory, and practice. Annual Review of Criminology, 1, 421-449.

Werb, D., Rowell, G., Guyatt, G., Kerr, T., Montaner, J., & Wood, E. (2011). Effect of drug law enforcement on drug market violence: A systematic review. International Journal of Drug Policy, 22(2), 87-94.

Brakarz, J., Greene, J., & Rojas, E. (2002). Cities for all: recent experiences in neighborhood upgrading programs in Latin America and the Caribbean. Inter-American Development Bank.

Donnelly, P. D., & Ward, C. L. (2015). Oxford textbook of violence prevention: epidemiology, evidence, and policy. Oxford University Press.

Weatherburn, D. (2011). Uses and abuses of crime statistics. Current Issues in Criminal Justice, 22(3), 333-348.

No entanto, é crucial lembrar que, enquanto estas estratégias têm se mostrado promissoras em diversos contextos, elas não são uma solução única e definitiva. As políticas e intervenções devem ser adaptadas às circunstâncias locais e regularmente avaliadas para garantir sua eficácia.

 

Ezequiel Oliveira

CEO/Saúde no Ar

Físico com mais de 25 anos de atuação em Física Médica.  Mestre em Medicina e Saúde Humana – Faculdade Bahiana de Medicina. Formado em Física pela Universidade Federal da Bahia e Pós Graduado pelo Instituto Nacional do Câncer. Diretor Executivo do Saúde no Ar, Professor do município de Camaçari. Físico Especialista em Radioterapia, Medicina Nuclear credenciado a ABFM- Associação Brasileira de Física Médica e Supervisor de Radioproteção credenciado a CNEN – Comissão Nacional de Energia Nuclear. Especialização fora do país: Sistema de Gerenciamento e Planejamento em Radioterapia, VARIAN SYSTEMS, Las Vegas, USA.

 

 

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe