Estudo mostra que a covid-19 está aumentando nos estados do Norte e Nordeste

Estudo mostra que a covid-19 está aumentando nos estados do Norte e Nordeste

Um pesquisador da  Fiocruz de Pernambuco,  realizou uma pesquisa e concluiu que o número da incidência de casos de covid nas regiões norte e nordeste está aumentando. Foi feita uma comparação entre os números de casos de abril e maio.  Além disso a aceleração dessas taxas nesses locais foi muito acima do resto do país.

O pesquisador  Wayner Vieira , utilizando o cruzamento de informações da  plataforma Covid-19 no mundo, no Brasil e em Pernambuco, da Secretaria de Planejamento e Gestão de Pernambuco (Seplag)  sinaliza para uma possível influência, nessa trajetória, das iniquidades sociais e da vulnerabilidade das condições de vida nas áreas mais pobres do Brasil.

A pandemia atingiu o país, no primeiro momento, em áreas “menos pobres”, com a covid-19 sendo trazida pelos viajantes que circularam pela China, Europa e posteriormente América do Norte para o eixo Rio-São Paulo, Distrito Federal, distrito industrial de Manaus, Fortaleza e Recife – essas duas últimas cidades devido às suas características de turismo intenso.

Treze estados – todos situados nas regiões Norte e Nordeste – tiveram crescimento dessa taxa de casos por milhão de habitantes aumentando mais que a média brasileira. Em dois deles o aumento foi de quase 50 vezes em maio: Tocantins (49,8) e Sergipe (47,8). As taxas de Alagoas, Pará e Paraíba cresceram mais de 20 vezes.

Roraima, Piauí, Acre, Maranhão, Amazonas e Amapá cresceram mais de 10 vezes.  Bahia, Roraima, Ceará e Pernambuco viram a taxa ser multiplicada por 9

Para se ter uma ideia, a média do crescimento no país foi de sete vezes, número em si já considerado alto pelos estudiosos. O Rio Grande do Norte foi o único estado do NE abaixo desse número, com 6,6.

Vieira, que integra o departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz PE e é estatístico e epidemiologista por formação, torna visível com seu estudo a evolução do número de casos de covid-19 detectados, da taxa por milhão de habitantes, do número de óbitos e da taxa de letalidade nos estados brasileiros, na comparação dos dados disponíveis na plataforma da Seplag para os períodos até 19 de abril e até 19 de maio.

Até 19 de abril, dos dez estados com a maior taxa de casos por milhão de habitantes, destacavam-se três da região Sudeste (SP, RJ e ES) e uma unidade do Centro-Oeste (DF), quatro do Norte (AM, AP, RR e AC) e dois do Nordeste (CE e PE). Essa lista incluía os locais com maior Produto Interno Bruto (PIB) entre as unidades da federação (SP, RJ e DF).

Quando se observa o período até 19 de maio, dos dez estados com maior taxa, nove pertencem às regiões Norte (AM, AP, RR, PA e AC) e Nordeste (CE, PE, MA e SE) e o único do Sudeste passa a ser o Espírito Santo. O que demonstra a necessidade de atenção para os estados com menos recursos, de forma a conter o crescimento da doença.

Fonte: Fiocruz

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *