Doença renal crônica - Hemodiálises cresce 52% em 6 anos

Doença renal crônica - Hemodiálises cresce 52% em 6 anos
A doença renal crônica já pode ser considerada endêmica, uma vez que atinge 1 a cada 10 adultos no país. Essa elevação foi refletida na saúde suplementar: entre 2015 e 2020, houve crescimento de 52% no número de hemodiálises – procedimento essencial para tratar a condição. Os números estão na “Análise Especial do Mapa Assistencial da Saúde Suplementar no Brasil entre 2015 e 2020”, produzida pelo IESS.
Hoje, no Brasil, a SBN estima que 133 mil pessoas dependem dessa forma de terapia e, anualmente, 20 mil pacientes entram em hemodiálise. Em 2020, foram realizadas 2,4 milhões de hemodiálises na saúde suplementar, segundo a análise do IESS com dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Os números foram impactados pela pandemia de Covid-19, visto que a quantidade de procedimentos foi 3,8% menor em comparação ao ano anterior.
Cabe destacar também que a prevalência das doenças renais crônicas se deve também pelo aumento dos casos de diabetes e hipertensão. Inclusive, o número de internações por diabetes mellitus cresceu 23,4% entre 2015 e 2020.
Sugerimos entrevista com o médico nefrologista Raphael Paschoalin, membro da Diretoria do Grupo CSB Nefrologia & Hemodiálise. Para agendar falar com Alice Britto – Whatsapp (71) 99666-8400- alicebritto@aegplus.com.br
O Programas Excelsior Saúde, em Sintonia, com a saúde qualidade de vida, trouxe nesta terça-feira, (30.11)  o tema Doença renal crônica. A conversa foi com a apresentadora Patrícia Tosta  e  com o Medico Nefrologista Mauro Oliveira.
Ouça a entrevista:
O programa  Excelsior Saúde, acontece das 9h às 10h, ao vivo, com transmissão pela Rádio Excelsior AM 840.
Ouça ao vivo  pelo site da Rádio Excelsior da Bahia  e participe pelo  wattsapp. (71) 9-9681-3998.
Para receber informações sobre os próximos assuntos participe do grupo  *Em Sintonia*,administrado pela apresentadora para entrar no grupo acesse esse link:
Participe, divulgue!

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.