Desafios da obstetrícia na Bahia

Desafios da obstetrícia na Bahia

Foto: Sesab

a_plenaria_cremebA Sessão Temática do Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb) que foi realizada nesta terça-feira (7) na sede da entidade, discutiu a situação do atendimento obstétrico na Bahia.

O Secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, marcou presença explanando sobre os desafios e projetos que estão sendo desenvolvidos pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) para ampliar o acesso ao atendimento obstétrico e garantir o atendimento integral à mulher.

Algumas das dificuldades para que o atendimento seja ofertado de uma forma melhor para as mulheres na assistência ginecológica e ao parto foram apontadas pelo secretário, que levantou o ponto sobre a quantidade reduzida de alguns especialistas, como neonatologistas.

Ele também salientou que se verifica algumas vezes o início tardio e baixa qualidade do pré-natal, que é de responsabilidade dos municípios. Como alternativa para enfrentar os problemas, está sendo desenvolvido com entidades médicas e de enfermagem um diagnóstico da situação da obstetrícia na Bahia, segundo o gestor.

"Nosso compromisso é descentralizar a assistência, ampliar o número de leitos e melhorar a qualidade do atendimento. Nesse sentido, além do investimento dos R$ 60 milhões na requalificação de 25 maternidades em todo o estado, será aberto em Salvador o Hospital da Mulher com 137 leitos", afirmou.

Segundo a presidente do Cremeb, Teresa Cristina Maltez, a ideia da plenária é contribuir no processo de melhoria do setor. "Buscamos conversar sobre os problemas e também debater propostas", afirmou. Além da presidente do Cremeb, diversos conselheiros da entidade e diretoras das maternidades da rede da Sesab participaram do encontro.

Fonte: Sesab

Redação Saúde no Ar*

Ana Paula Nobre

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.