Bahia tem centro especializado de pesquisa

Bahia tem centro especializado de pesquisa

O  Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde, o Cidacsl pode desempenhar um papel decisivo no desenvolvimento de estudos no campo da saúde que envolvem grandes volumes de dados. O espaço possui uma sala de 300 metros quadrados distribuídos em dois pisos no Parque Tecnológico da Bahia, ligada por um cabo privativo de fibra óptica a um computador de alto desempenho, instalado no Senai-Cimatec.

Além de todo o sistema, o Cidacs, possui pesquisadores munidos de boas e importantes questões que o multiprocessamento acelerado de dados pode ajudar a responder com mais rapidez. O Cidacs é comandado pelo Instituto Gonçalo Muniz da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-Bahia) e com participação de várias unidades da UFBA e outras instituições nacionais e internacionais,

O Centro de Integração de Dados e Conhecimentos tem como seu primeiro projeto contribuir em termos imediatos o “Coorte de 100 milhões de brasileiras – Plataforma de estudos e avaliações dos efeitos do Programa Bolsa Família e outros Programas de Proteção Social sobre a saúde”, coordenado por Maurício Barreto, professor do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA e pesquisador da Fiocruz, que, também vai coordenar o centro de pesquisas.

 “Já vínhamos trabalhando nesse projeto da Coorte, um grande levantamento do impacto de programas sociais na saúde da população, e precisávamos vencer dificuldades sérias de infraestrutura para concretizá-lo. Quando começamos a pensar no Cidacs e ver como situá-lo na UFBA ou na Fiocruz, tivemos a oferta providencial da Secretaria de Ciência e Tecnologia em relação ao Parque Tecnológico, e isso foi uma sorte”, conta Barreto.

Outro projeto que será realizado pelo Cidacs é o desenvolvimento da Plataforma de Vigilância de longo prazo para síndrome da Zika congênita e microcefalia. Existe também outras plataformas voltadas a estudos de questões de equidade e sustentabilidade urbana e seus efeitos na saúde; tecnologias e inovações em sistemas de informação para apoiar os Programas e Ações do SUS; bioinformática aplicada à análise de dados de alto rendimento para saúde; e epidemiologia genômica de cortes Brasileiras – Epigen.

O Centro de Integração de Dados e Conhecimentos começou a ser pensada em 2013, e em 2014 o projeto participou de uma chamada do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e mais a Fundação Bill & Melinda Gates, com o que se pode financiar alguns custos de instalação. 

Em mais detalhes, a iniciativa pioneira associa a Fiocruz-Bahia com a UFBA — via Instituto de Saúde Coletiva, Escola de Nutrição, Faculdade de Economia, Instituto de Física e Instituto de Matemática e Estatística (Departamentos de Ciência da Computação e de Estatística), com a Fiocruz-Brasília e Fiocruz-RJ, a Universidade de Brasília (UnB), a Fundação Getúlio Vargas (FGV) e o Senai-Cimatec. No âmbito internacional, estão também associados a London Scholl of Hygiene and Tropical Medicine e o Farr Institute.

Redeção Saúde no ar.

Fonte:UFBA

 

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.