A eficácia das vacinas e a importância da segunda dose

A eficácia das vacinas e a importância  da segunda dose

Infelizmente, muitos brasileiros se negam a se vacinar por serem vítimas de fake news. Outros tomaram a primeira dose e não foram tomar a segunda, após chegar a data marcada.

O Brasil que há pouco tempo possuía uma média móvel acima de 2.500 casos de mortes por dia, hoje tem uma média ainda muito alta, porém menor em ritmo de queda constante. A média móvel de mortes, em 07 de julho foi de 1.451 é a menor desde dia 05 de março Isso é resultado do efeito da vacinação. A média de casos é a menor desde 23 de fevereiro. Em duas semanas, a queda do número de casos é de 35%.

Em janeiro deste ano nos EUA, a  média móvel de mortes era  de 3.500 pessoas. Embora tenha aumentado em 21 % nas duas ultimas semanas o número de casos por causa de variante Delta, o aumento ocorre nas regiões com menor índice de vacinação. 95% das mortes ocorridas nos EUA por COVID – 19, são de pessoas não vacinadas.

Os especialistas são unanimes em dizer que a vacinação é coletiva. Para que a vacinação tem uma efeito maior é preciso que mais pessoas sejam imunizadas. A imunização, só é efetivada com a tomada da segunda dose. Ao contrário que muitos afirmam, a segunda dose não é uma dose de reforço. Ela é ESSENCIAL, E é complemento da PRIMEIRA DOSE.

Na cidade de Serrana – SP, após uma vacinação em massa da população com a vacina da Coronavac, ocorreu uma redução de 95% de internações e mortes

Na cidade de Botucatu, após duas semanas do inicio da vacinação com a primeira dose da vacina Astrazenica, ocorreu uma redução de 71% dos casos de Covid- 19.

No Estado do Amazonas que chegou a alcançar os maiores índices de mortes do país, após a intensificação da vacinação que ainda é parcial, não ocorreu nenhuma morte no dia 06 de julho. Isso não acontecia desde abril de 2020

Pesquisa liderada pelo Instituto Pasteur, da França, mostra que a proteção em relação à variante delta é de 10% entre os que só tomaram a primeira dose do imunizante da Pfizer ou da AstraZenec e de 95% entre os que tomaram as duas doses. Os cientistas avaliaram o desempenho de anticorpos coletados de 162 voluntários – pessoas que já se infectaram ou que já receberam uma ou duas doses da vacina.

Outro estudo publicado pela revista, Lancet, concluiu que na terceira fase de testes clínicos na Turquia, com mais de 10 mil pessoas entre 18 e 59 anos, nenhum efeito colateral grave foi registrado e a Coronavac mostrou eficácia de 83,5% contra casos sintomáticos de Covid. Isso depois da segunda dose.

Acredite na ciência e não se deixe influenciar por fake news. Quando chegar sua vez vacine e mesmo que já tenha passado a sua data para tomar a segunda dose, compareça a um posto de saúde e tome a segunda dose.

O fim da pandemia e a volta da normalidade, depende de todos nós. faça sua parte. Use máscara, não entre em aglomerações e quando chegar sua vez, vacine.

Jorge Roriz – Jornalista.

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *