Brasil testa cirurgia que recupera ereções em homens com lesão medular

Muitos homens com lesão na medula acabam se tornando cadeirantes e perdendo a capacidade de terem ereções naturalmente pela perda de sensibilidade abaixo da linha da cintura.

Já existe a tecnica de fazer um implante no paciente que leva a ereções não naturais (mantendo o pênis artificialmente enrijecido com uso de suportes internos ou injeções)
porém agora surgiu um novo neuromodulador em testes pode permitir que esses homens tratem a disfunção erétil de forma mais simples.

É feita a implantação de um neuroestimulador artificial por baixo da pele, na parte inferior do abdômen. Os fios do dispositivo ficam conectados a uma região próxima à próstata e ao osso púbico, e ele é acionado através de controles sem fios.

O CaverSTIM lança pequenos impulsos elétricos que estimulam o fluxo sanguíneo ao pênis e os estímulos são ajustáveis para se adaptar ao organismo de cada paciente.
O Brasil é o primeiro país a realizar testes com essa tecnologia, que foram aprovados em julho de 2023. A primeira cirurgia ocorreu em outubro de 2023.

Desde então, três pacientes fizeram o procedimento e tiveram melhora na função sexual. Eles reportaram que o dispositivo, ao estimular os músculos da região, também melhorou as funções intestinais e urinárias. Mesmo com o neuromodulador desligado, os homens sentiram maior sensibilidade no pênis após o procedimento.

“Os pacientes seguem em acompanhamento, mas os resultados primários são muito bons. É surpreendente a melhora também em funções urológicas e evacuatórias dos homens que participaram do testes”, destaca o urologista Sidney Garcia, um dos coordenadores do estudo que está ocorrendo no Hospital Mário Covas, em Santo André (SP).

A expectativa é que 17 voluntários sejam selecionados para passar por uma nova rodada de testes clínicos do CaverSTIM até a metade deste ano.

 

 

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe