Bienal do Livro – Sessão de autógrafos com Maria Rita Pontes encerra programação da OSID

 

Livro Cartas de Santa Dulce reúne manuscritos inéditos do Anjo Bom do Brasil e convida o público a um profundo mergulho na memória da primeira santa brasileira

Um dos destaques da Bienal do Livro Bahia, a sessão de autógrafos da obra “Cartas de Santa Dulce: a face humana em todos nós” encerrará a programação no estande das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) nesta quarta-feira (1º), no Centro de Convenções Salvador, a partir das 16h. A sessão contará com a presença de Maria Rita Pontes, sobrinha da Mãe dos Pobres e superintendente da OSID. Com texto de contracapa assinado pela atriz Fernanda Montenegro, a publicação, que reúne manuscritos inéditos da primeira santa brasileira, convida o leitor a um verdadeiro mergulho na impressionante trajetória do Anjo Bom.

O livro integra o acervo literário disponibilizado para aquisição no estande dedicado a Irmã Dulce. Toda a renda obtida com as vendas será destinada à instituição social fundada pela religiosa baiana – entidade que acolhe hoje mais de 3 milhões de pessoas por ano na Bahia, incluindo idosos, pacientes oncológicos, pessoas com deficiência e com deformidades craniofaciais, pessoas em situação de rua, usuários de substâncias psicoativas, crianças e adolescentes em situação de risco social, entre outros públicos.

Testemunhos de amor e caridade – “Seu Abelardo, Paz e bem! Isto é um assalto. Vou levar 1 furadeira. Irmã Dulce”. Com data de 19 de maio de 1989, a referida nota, insólita e bem-humorada, foi dirigida a um comerciante em Salvador que sempre socorria Santa Dulce em suas necessidades junto aos pobres e doentes. A mensagem integra a coleção de 59 correspondências publicadas no livro Cartas de Santa Dulce.

A obra foi organizada por um conselho editorial que, ao longo de dois anos, se dedicou à pesquisa e seleção dos inéditos manuscritos. O grupo contou com a participação, além da sobrinha de Irmã Dulce, da jornalista Luciana Savaget; dos museólogos da OSID, Osvaldo Gouveia, Carla Silva e Marcela Avendaño; da missionária Irmã Maiara Santos; do gestor do Complexo Santuário Santa Dulce dos Pobres, Márcio Didier; e do designer Gilberto Strunck.

“Participar da construção desse livro foi uma experiência que ativou uma série de memórias da minha infância, adolescência e da fase na qual pude acompanhar mais de perto as obras de Santa Dulce. E os leitores também poderão compartilhar, através dessa publicação, as alegrias, as angústias e, principalmente, a fé da Mãe dos Pobres”, ressalta Maria Rita Pontes.

Acervo literário narra trajetória heroica e reflete sobre legado de Santa Dulce

Com diferentes estilos de narrativa, diversas publicações refazem a trajetória heroica de Irmã Dulce, a religiosa baiana que acolheu 70 doentes no galinheiro de um convento em Salvador, no fim dos anos 1940, fundando as Obras Sociais Irmã Dulce. A instituição criada a partir do seu gesto solidário se tornou um dos maiores complexos de saúde gratuitos do país acolhendo anualmente mais de 3 milhões de pessoas na Bahia. Canonizada em 2019, após o reconhecimento de dois milagres, Irmã Dulce tornou-se a primeira santa brasileira da nossa época deixando, além do trabalho social em prol dos menos favorecidos, um legado espiritual inspirador cultivado no cerne de sua missão de “amar e servir”. Nesse enredo protagonizado pelo amor fraterno, cruzaram seu caminho pessoas de todas as origens e classes sociais – de presidentes aos “capitães da areia”, meninos que dormiam nas calçadas de Salvador. De impressionantes relatos de cura atribuídas a Santa Dulce dos Pobres a manuscritos inéditos revelando sua humanidade incondicional, nessas envolventes narrativas descobrimos a missionária da fé e a mulher de ação, muito à frente do seu tempo, incrivelmente habilidosa em construir pontes entre os que podiam ajudar e os que precisavam de ajuda.

PUBLICAÇÕES NA BIENAL DO LIVRO BAHIA:

 

Cartas de Santa Dulce: a Face Humana em Todos Nós (192 páginas, R$ 75,00). Organizadores: Maria Rita Pontes, Osvaldo Gouveia, Luciana Savaget, Gilberto Strunck, Carla Silva, Marcela Avendaño, Irmã Maiara Santos e Márcio Didier.

Sinopse:  A obra reúne 59 correspondências – quase todas inéditas – escritas por Santa Dulce dos Pobres entre os anos de 1930 e 1980. Os manuscritos revelam toda a humanidade de Irmã Dulce em momentos de angústia, fé, dor e alegria, convidando o leitor a um profundo mergulho na memória do Anjo Bom do Brasil.

Irmã Dulce dos Pobres: uma Santa do Nosso Tempo – 18ª edição (252 páginas, R$ 60,00). Autora: Maria Rita Pontes.

Sinopse: Sobrinha da religiosa baiana que se tornou a primeira santa brasileira, a autora revisita e atualiza a obra, que nesta 18ª edição acrescenta um recorte de tempo focado nas últimas três décadas, desde a morte da Mãe dos Pobres – passando por marcos importantes de sua trajetória, como a Beatificação e a Canonização – até a pandemia com seus contornos dramáticos em uma obra filantrópica como as Obras Sociais Irmã Dulce, fundada por Santa Dulce em 1959.

Além da Fé – A Vida de Irmã Dulce (Editora Irmabem, 624 páginas, R$ 99,90). Autor: Valber Carvalho.

Sinopse: Neste primeiro volume da obra biográfica, o autor reúne 184 ilustrações, fatos históricos contextualizados, além de depoimentos inéditos coletados em 500 entrevistas e 13 mil documentos, para contar a trajetória de uma missionária que fez uma revolução para seguir os ensinamentos de Jesus. A narrativa fluida é marcada por acontecimentos surpreendentes e povoada por uma diversidade de personagens.

A Última Porta – A Vida de Irmã Dulce – Parte 2 (Editora Irmabem, 776 páginas, R$ 130,00). Autor: Valber Carvalho.

Sinopse: No segundo volume da biografia, o autor foca no apostolado de amor da missionária baiana que dedicou sua vida aos mais necessitados. Lançada três anos após o primeiro livro, A Última Porta – A Vida de Irmã Dulce – Parte 2 inicia sua narrativa em 1953 e se estende até a Canonização em 2019. Neste volume, o autor traz outras particularidades históricas da vida da religiosa baiana e 200 imagens, muitas delas inéditas.

O Médico e a Santa (Editora Fábrica das Letras, 136 páginas, R$ 65,00). Autor: Almério Machado.

Sinopse: O livro traz memórias do médico pneumologista Almério Machado, que a partir de 1975 cuidou de Santa Dulce dos Pobres, que sofria com sérios problemas respiratórios. O autor narra os aprendizados constantes e o crescimento espiritual que obteve ao desfrutar da confiança e da amizade do Anjo Bom.

Santa Dulce dos Pobres: o Anjo Bom do Brasil (Editora Paulinas, 232 páginas, R$ 47,00). Autor: Gaetano Passarelli.

Sinopse: Neste livro biográfico ilustrado, o autor narra a trajetória heroica de Santa Dulce, desde os primeiros anos até o seu falecimento em 1992. A obra retrata a vida de uma devotada serva de Deus que tinha como missão “amar e servir” transformando a si mesma em instrumento vivo da fé e do amor ao próximo.

Cinco Minutos com Deus e Irmã Dulce (Editora Paulinas, 112 páginas, R$ 16,00). Organizadora: Luzia Sena.

Sinopse: O livro traz uma seleção de trechos da Bíblia organizados em conjunto com pensamentos e reflexões de Santa Dulce dos Pobres. Inspirados no serviço amoroso da Mãe dos Pobres, os textos se propõem a conduzir o leitor à reflexão, à oração e ao encontro com Deus.

Sementes de Amor: a Sabedoria de Irmã Dulce em 85 Pensamentos (Editora Record, 126 páginas, R$ 32,00). Organizadores: Waldomiro Júnior, Osvaldo Gouveia e Marcela Avendaño.

Sinopse: O livro reúne pensamentos de Irmã Dulce selecionados em entrevistas, cartas, bilhetes ou simples apontamentos. Revelam a beleza do gesto fraterno de uma religiosa devotada aos pobres, que se tornou símbolo da fé cristã.

O jornalismo independente e imparcial com informações contextualizadas tem um lugar importante na construção de uma sociedade , saudável, próspera e sustentável. Ajude-nos na missão de difundir informações baseadas em evidências.Apoie e compartilhe