Combate à violência sexual

Combate à violência sexual

combate à Violência Sexual Amanhã, sexta-feira 18 de maio, começa à campanha de combate à Violência Sexual -promovida pelo Ministério Público do Estado da Bahia- e marcará o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O objetivo da campanha e chamar à população para que prestem à devida atenção aos  sinais que as crianças e adolescentes exibem quando são vítimas de violência sexual.  E a importância de não omitir os fatos e nem as evidências.

A campanha vai reforçar a importância da denúncia, ao menor sinal de alguma violência é só ligar para o Disque 100, que é a central de denúncias do Ministério dos Direitos Humanos do Governo Federal.

Em 2017, o Disque 100 registrou 1.126 denúncias de violência sexual contra ciranças e adolescentes na Bahia. Os municípios com maior número de registros foram Salvador, com 275 casos; Feira de Santana, com 45; Camaçari, com 43; Vitória da Conquista, com 31; Itabuna, com 22; e Ilhéus, com 20 casos.

O abuso e a exploração sexual é um problema mundial, e o Brasil vem sustentando um dos primeiros lugares no ranking internacional de casos de exploração sexual de crianças e adolescentes.  Numa matéria publicada no portal  "G1",  informou que no Amapá, só no ano de 2017, 398 crianças sofreu abuso sexual-  esse dado é apenas o registrado nos atendimentos feitos pela Polícia Técnico-Científica (Politec)-  e a  maior parte das vítimas são meninas entre 7 e 11 anos, e mais alarmante é o local onde acontece à violência, que é dentro do lar.

 

Lançamento da campanha:

A campanha dará início ao seminário “Faça Bonito. Proteja Nossas Crianças e Adolescentes”, que acontecerá das 8h às 17h, no Auditório Garcia Tinoco, na sede do MP, no CAB.
Promovido pelo Centro de Apoio Operacional da Criança e o Adolescente (Caoca) e pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), o evento será aberto ao público, tendo como alvos membros e servidores do MP, Judiciário, Defensoria Pública, conselheiros Tutelares e de Direitos, gestores e servidores das áreas de Assistência Social, Segurança Pública, Saúde, Educação, Justiça e Direitos Humanos, além de estudantes.
Após o lançamento da campanha, um debate sobre “Escuta Protegida e a Realidade Baiana” reunirá a procuradora de Justiça Márcia Guedes, as promotoras de Justiça Ana Bernadete Melo de Andrade e Eliana Elena Portela Bloisi, o juiz de Direito Arnaldo José Lemos de Souza e a representante do Instituto Aliança, Sandra Santos. À tarde, a partir das 14h, o “Festival Faça Bonito” contará com apresentações de teatro, música, documentário e poesia, realizadas por alunos das redes municipal e estadual, bem como por integrantes dos projetos sociais de proteção às crianças e adolescentes.

 

 

Redação Saúde no Ar

Fonte:Ministério Público da Bahia

Foto:MPBA

1 Comment

Send a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *